Celebrando o aniversário de 30 anos da Constituição Brasileira de 1988, o Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ), localizado no Antigo Palácio da Justiça, próximo à Praça XV, inaugurou no dia 30 de janeiro a exposição “Mulheres, A Hora e a Voz – Direitos, Conquistas e Desafios”.

“A mostra é conduzida pela memória de quatro protagonistas que ecoam a voz de tantas outras brasileiras que atuaram naquele momento histórico: Jacqueline Pitanguy (socióloga, presidente do CNDM de 1985 a 1989), Comba Marques Porto (advogada, coordenadora da Campanha “Mulher e Constituinte”), Leila Linhares Barsted (advogada, consultora jurídica da OAB Mulher, assessoria do CNDM) e Schuma Schumaher (pedagoga, secretaria executiva do CNDM e articulista da campanha “Mulher e Constituinte”). As quatro entrevistadas revivem o encontro com o feminismo nas décadas de 1970 e 1980, debatem a violência contra a mulher e os desafios atuais da agenda do feminismo. A mostra conta com um enorme painel, onde o público poderá fazer selfies e assim integrar uma passeata do movimento feminista.”

A juíza  Adriana Ramos de Mello, titular do I Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, foi uma das mentoras da exposição.

     
Exposição “Mulheres, a Hora e a Voz – Direitos, Conquistas e Desafios”
De 30/1 a 31/5, de segunda a sexta, das 11h às 19h e, aos sábados, de 14h às 18h. Entrada grátis
Museu da Justiça (Centro Cultural do Poder Judiciário – Rua Dom Manuel, 29, Centro)