Um Relatório em Gaza e um Apelo à Paz

Os atentados militares na densamente povoada Faixa de Gaza resultaram em um imenso custo humano, enquanto os foguetes continuam a ser disparados contra as famílias, no lado israelense da fronteira, alimentando o ciclo de violência.

“A qualquer minuto os foguetes podem bombardear minha casa, eu vejo eles chegando. Todo mundo é alvo. ”

– Mulher Membro do Comitê de Assuntos Técnicos

Parceira da WLP na Palestina, o Comitê Técnico de Assuntos das Mulheres (WATC), com escritórios em Gaza, recentemente atualizou a WLP sobre a situação, cujos detalhes são de partir o coração.

Além dos feridos diretamente nos ataques, os hospitais estão além de sua capacidade máxima, tratando apenas de casos urgentes. Civis com doenças crônicas e os idosos não podem receber o tratamento de que necessitam. Vários membros do Comitê Técnico de Assuntos das Mulheres (WATC), foram forçados a abandonar as suas casas devido a bombardeios. Uma mulher fugiu com apenas as fraldas de seu bebê de 6 meses, enquanto a casa recém-construída de outro membro WATC foi completamente destruída.

A WLP clama aos militantes e os governos de ambos os lados para acabarem com a violência. A WLP apela à comunidade internacional e aos cidadãos globais para pressionarem os governos de ambos os lados para procurarem uma solução política, o único caminho para a segurança e uma paz justa para ambos os povos de Israel e da Palestina.

“Nossos colegas em Gaza não foram capazes de sair de suas casas desde que o ataque começou. Nós não temos conseguido falar com eles facilmente, uma vez que a eletricidade foi cortada e alguns deles deixaram suas casas. Alguns colegas têm crianças pequenas que precisam de conforto e precisam entender o que está acontecendo. Nós muitas vezes nos sentimos impotentes e com raiva, pois não somos capazes de ajudar diretamente, além de que também estamos preocupados com a nossa própria segurança na Cisjordânia, pois os colonos estão aumentando seus ataques e as estradas e as ruas não são mais seguras.”

– Soraida Hussein, do Comitê Técnico de Assuntos das Mulheres (WATC) Diretora Geral